AGENDAMENTO ONLINE

agendamento online2018-01-18T18:38:04+00:00

DÚVIDAS FREQUENTES

Exames:
marque um ou mais exames;
Ressonância MagnéticaMamografia DigitalEcografia (ultrassonografia)EcocardiografiaDensitometria ÓsseaPunções e BiópsiasAnálises Clínicas
Tomografia ComputadorizadaRadiologia DigitalDoppler ColoridoElastografiaTomografia OdontológicaAnatomia Patólogica

Nome:

Sexo:
FemininoMasculino

Fone1:
Fone2:

E-mail:

Data de Nascimento:
Cidade:

Tipo do Exame:
Já fez exame no Cedav
SimNão
Dia Prefêrencial:
Periodo
OBS:

O CEDAV retornará via telefone seu contato, confirmando seu exame.

Alguns, sim. Os antibióticos e os antiinflamatórios, por exemplo, interferem nos testes de coagulação do sangue, normalmente solicitados em pré-operatórios. Portanto, quaisquer que sejam os remédios que esteja tomando, avise o atendente antes do exame. Caso um deles interfira, você terá que conversar com o seu médico sobre a possibilidade de suspendê-lo por alguns dias. Se a interrupção não for possível, esse dado terá que ser levado em conta na avaliação do resultado.
Fonte: fleury.com.br

De jeito nenhum, se forem testes de agregação plaquetária, curva glicêmica ou exame ergométrico. Nesses casos, não fume no dia do exame.
Fonte: fleury.com.br

Meio de contraste é uma substância utilizada em exames de diagnóstico por imagem para contrastação de partes do organismo. Torna possível analisar em detalhes as regiões do organismo interessam ao médico que solicitou o exame. Os meios de contraste podem ser administrados via oral, intra-venosa, intra-arterial, uretral, retal, nas glândulas salivares ou em outras situações específicas como fistulografias, ductografias, etc. A escolha da melhor forma de administração depende do exame solicitado e da região de interesse. Os meios de contraste são utilizados em exames radiológicos, tomografia computadorizada, ressonância magnética e mais recentemente em ultra-sons. Cada caso é analisado por médicos que decidem se há necessidade ou não de utilização dos meios de contraste. Fonte: fleury.com.br

O radiologista utiliza os exames anteriores para comparação com os resultados atuais e elaboração de um laudo mais completo, que pode fornecer informações referentes à evolução de alguma doença. Por outro lado, se, no exame atual, surgir alguma alteração, é possível a comparação com exames anteriores para confirmar a agressividade do processo. A análise conjunta dos exames anteriores com os atuais complementa o estudo do caso pelo radiologista. Quando os exames anteriores não são apresentados no dia da realização do exame, o radiologista pode solicitar que os mesmos sejam enviados para análise comparativa posteriormente. Porém, em geral, esta alternativa pode gerar maior ansiedade nos clientes.
Fonte: fleury.com.br

A ressonância magnética (RM) utiliza um campo magnético potente que pode interferir no funcionamento de marcapassos. Então, para a segurança do próprio cliente, é proibida a realização de exames de RM em clientes com marcapasso. Também é recomendado não realizar exames de RM em pacientes operados de aneurisma, que possuam “clips” potencialmente ferromagnéticos, e com próteses auditivas fixas, tipo endococlear. Ninguém com marcapasso cardíaco ou bombas de demanda eletromagnéticas, tipo bomba de insulina subcutânea, deve se aproximar de um equipamento de RM.
Fonte: fleury.com.br

Os aparelhos dentários, “stents”, DIUs ou outras próteses articulares interferem na realização de exames de imagem se estiverem muito próximos da região de interesse. Entretanto, o radiologista do laboratório responsável pelo atendimento pode avaliar cada caso para julgar se esses objetos de metal que não podem ser retirados do corpo dos pacientes impedirão a realização ou a interpretação do exame.
Fonte: fleury.com.br

Não diretamente. A alta densidade do silicone pode, eventualmente, sobrepor-se a alguma lesão mamária, impedindo o seu diagnóstico. Porém, essa possibilidade é remota e sempre é analisada pelo médico que solicitou o exame.
Fonte: fleury.com.br